Em primeiro lugar, se este ano começa a corrida para ser fisioterapeuta, ou se está em processo de se tornar fisioterapeuta, é importante ter em mente o que é fisioterapia.

A fisioterapia é uma disciplina de ciências da saúde que oferece um tratamento terapêutico e reabilitação não farmacológica para diagnosticar, prevenir e tratar sintomas de múltiplas doenças, tanto agudas como crónicas, através de exercícios terapêuticos e agentes físicos como eletricidade, ultrassom, laser, calor, frio, água, técnicas manuais como alongamento, trações, massagem terapêutica.

Em Espanha, para exercer a profissão de fisioterapeuta é obrigatório ter concluído os estudos oficiais durante 4 anos e mesmo, dependendo da comunidade autónoma em que o profissional vai exercer, pode ser obrigatório inscrever-se na correspondente comunidade autónoma.

Como diz a definição de fisioterapia, há ocasiões em que o fisioterapeuta requer material complementar tanto para o diagnóstico, estudo e investigação da profissão como para o tratamento de patologias.

Ferramentas de estudo

É essencial que todos os fisioterapeutas tenha anatomia humana muito presente e muito estudada. Será vital durante todos os anos de exercício como fisioterapeuta que o profissional conheça exatamente todas as estruturas que fazem parte de uma área do corpo, bem como a função e que estão envolvidas em determinados movimentos.

Para ter um conhecimento claro, e como recurso de referência, destas estruturas, cada fisioterapeuta deve ter um atlas de anatomia. Mas para ter uma melhor visão “mais real” das estruturas do corpo e dos padrões de movimento é aconselhável ter modelos anatômicos.

Os modelos anatômicos de diferentes partes do corpo servem tanto para o próprio estudo do fisioterapeuta como para, amanhã, explicar de forma visual aos pacientes a sua patologia ou as estruturas que estão envolvidas na sua patologia.

Existem diferentes tipos de modelos anatômicos, dependendo da estrutura corporal que representa. No Fisiolab temos diferentes modelos:

Agentes Físicos:

Os agentes físicos são um complemento ao tratamento e reabilitação dos pacientes, que todos os fisioterapeutas devem ter. Mas é vital que o profissional saiba como aplicá-los da forma correta. Um dos agentes físicos mais comuns é a eletroterapia, também conhecida como correntes.

Para a melhor aplicação da eletroterapia, temos de ter em conta:

  1. A condição física do paciente (possíveis contraindicações que pode ter)
  2. Patologia
  3. O objetivo que quero alcançar
  4. O tipo de tratamento
  5. O número de sessões
  6. A evolução do paciente

Por tudo isto, é essencial que o fisioterapeuta conheça bem os diferentes tipos de correntes que existem, bem como os objetivos e resultados que podem ser alcançados com cada um deles.

Além de conhecer “a teoria” da eletroterapia, o fisioterapeuta deve saber perfeitamente como funciona o equipamento disponível. No Fisiolab recomendamos ter uma equipa que o fisioterapeuta, manualmente, possa programar de forma personalizada para cada caso e paciente.

Para aprender a aplicar eletroterapia e conhecer e controlar as formas de onda essenciais, no Fisiolab recomendamos que o aluno adquira um dos nossos equipamentos de eletroterapia portáteis:

  • MT8000: É um equipamento de eletroterapia de 4 canais com 4 tipos diferentes de corrente:
    • TENS

É um equipamento a bateria, para que o aluno possa ir com ele para as aulas e praticar o manuseamento em casa. Vem em uma caixa de transporte para sua conveniência com 2 pares de elétrodos adesivos, tem programas de tratamento ou pode ser programado manualmente.

  • LT7102: É um equipamento de eletroterapia de 4 canais com 5 tipos de correntes:
    • TENS

É um equipamento a bateria, de modo que também permite que o aluno vá para as aulas com ele. Tem uma tela de cor e modelos de tratamento. Todos os modelos de tratamento são modificáveis manualmente, para que o aluno possa adaptar a corrente ao que precisa. Vem numa caixa de transporte com 2 pares de elétrodos adesivos.

         

Em conclusão, no Fisiolab podemos equipar-te desde o início da tua carreira para te tornares fisioterapeuta, bem como ao longo da tua vida profissional. Se precisar de mais informações ou conselhos, não hesite em contactar-nos e teremos todo o gosto em ajudá-lo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.